domingo, 10 de julho de 2016

Arakém, O Showman

Um tipo franzino, baixinho e desengonçado, conquistou o telespectador que acompanhava a televisão nos anos 1980, ele tentava a todo custo aparecer na telinha correndo atrás de um alto executivo de uma emissora. Esse era Arakém, o Showman, personagem interpretado pelo documentarista e publicitário José Antônio de Barros Freire, o Barrinhos.






Arakém na campanha "Entre no Ar, Entre no pique da Globo"


Arakém surgiu no ano de 1984, com o objetivo de divulgar a linha de show da Rede Globo sob o slogan: "Entre no ar, entre no Pique da Globo", sempre na tentativa de ter sua chance na TV, para isso perseguia o Big Boss Tony e procurava mostrar suas habilidades, mas o "chefinho" mandava o personagem voltar no ano que vem, porém arrancava suspiros e risadas da sua linda e loira assistente. Os coadjuvantes era interpretados respectivamente por Sérgio Toni e Evelyn Derkian. Vários eram os cenários e os figurinos que Arakém aparecia, no aeroporto, no meio do mar, num restaurante mexicano, vestido de dançarina de hula-hula, arriscando os passos do Michael Jackson, marinheiro, mariachi, entre outros. O mascote da programação agradou tanto o público que apareceu de novo no fim do ano desejando boas festas.

 
Arakém vestido de havaiana
Mas isso ainda era pouco para Arakém, sua participação mais memorável foi no ano de 1986 durante a Copa do Mundo do México, dessa vez ele levantava a torcida da Brasil durante o Mundial da FIFA embalado pelo tema Mexe Coração, da Aerobanda. Arakém de Showman virou o Gol Man e sempre zombava dos adversários que a seleção enfrentava ao lado de belas torcedoras, quase sempre terminando os vídeos com os versinhos: "Nessa Copa do Mundo nem vem que não tem/Vai dar Brasil meu Bem/Com Arakém o Gol Man!". As vinhetas eram exibidas após os jogos e chegavam a subir a audiência.


Arakém torcendo pelo Brasil

O personagem foi uma invenção do publicitário Alexandre Machado, à época redator da agência interna da Globo, a escolha de Barrinhos para dar vida a Arakém foi de Mimito Gomes diretor da produtora Manduri que produziu os filmes. Alexandre conta à revista Veja do dia 28 de novembro de 1984, que Barros Freire foi o tipo ideal escolhido: "Eu me espantei quando vi o primeiro filme pronto, pois o Barrinhos é o Arakém que eu tinha imaginado em carne e osso". Barrinhos caiu no gosto do telespectador, como consequência do sucesso logo foi assediado, surgiram propostas para aparecer em comerciais como Arakém, mas a Globo logo fez questão de assinar um contrato de exclusividade durante 8 meses. Na Copa do México, as camisas que tinham um desenho da bandeira do Brasil, que o personagem vestia foram um fenômeno de vendagem.


Arakém ainda seria visto na Rede Manchete, durante as transmissões das olimpíadas de Seul, no ano de 1988.


Barrinhos Freire (Fonte: ego.globo.com)
José Antônio de Barros Freire, atualmente com 60 anos, é dono de produtora especializada em documentários.Veja os vídeos e relembre o Arakém:

 As primeiras aparições de Arakém divulgando a programação 1984 da Globo


Copa do Mundo de 1986

Esse vídeo seria exibido na Globo caso o Brasil tivesse vencido a França nas quartas de final

Arakém na Rede Manchete, durante as olimpíadas de Seul

Nenhum comentário:

Postar um comentário